top of page

São João del-Rei sem a UFSJ

Na realidade dos cortes de verba, uma crônica que conta o futuro de São João sem as universidades

UM FUTURO DISTÓPICO - São João del-Rei pode piorar muito sem a UFSJ. (Laura Pereira)

21/07/2030


Como todas as minhas férias do trabalho, fui visitar meus pais em minha cidade natal, São João del-Rei. Onde fui criada, me formei no ensino médio e também na faculdade. Crescer em uma cidade universitária sempre foi sinônimo de poder participar de eventos culturais, oficinas sobre os mais diversos assuntos, ter um contato maior com a faculdade mesmo antes de fazer parte e ter uma perspectiva de poder me formar em um curso superior com relativa facilidade.


A cidade sempre foi muito animada, cheia de jovens frenéticos indo para todos os lugares, trabalhando no comércio até em eventos acadêmicos. Era algo bem bonito de se pensar. a cidade toda funcionava de uma maneira que era capaz de oferecer conhecimento não só para os seus próprios cidadãos, mas também para várias outras pessoas que traziam um pedacinho de si para a cidade.


Sempre imaginei São João como uma grande colcha de retalhos, cada pessoa costurava um retalho novo na história da cidade. Mas há cinco anos atrás as coisas mudaram drasticamente... O governo fez tantos cortes na educação que a universidade não teve outra opção e foi fechada. Até hoje, os prédios estão abandonados, a entrada é proibida, os portões enferrujados, a tinta descascando das paredes, janelas quebradas, os grafites em protesto... Agora os prédios só existem como lembranças do que a cidade já foi um dia.


A cidade sofreu e sofre até hoje, não consigo nem contar quantos estabelecimentos se fecharam... Passo pelas ruas me lembrando de onde costumava me encontrar com meus amigos, onde vários alunos se encontravam para um esquenta antes das festas... Todos esses barzinhos e lanchonetes agora estão fechados. E por lembrar em festas, a maioria delas pararam, inclusive algumas festas beneficentes. Tentaram... Mas não era a mesma coisa, o público era bem menor e não valia a pena.


Meus amigos que dão aula nas escolas de São João sempre comentavam comigo que para os estudantes a cidade tinha um prazo de validade. Eles teriam educação até certo pontoe depois precisavam se mudar para outras cidades para um curso superior. A perspectiva de muitos jovens de classe baixa não contava com a possibilidade de frequentar uma universidade.


Os eventos culturais, shows, exposições de arte, peças de teatro, feiras literárias e os outros eventos foram desaparecendo aos poucos. O artesanato continuou segurando firme, a cidade investiu bastante no turismo e nos eventos religiosos. Até que está dando certo, mas a cidade só fica cheia três ou quatro vezes por ano…


Afinal, pensava na universidade como algo importante para a nossa cidade, mas não fazia ideia de como a São João ficaria deserta sem os estudantes. É sempre bom voltar para casa, ver minha família e alguns amigos que ainda moram aqui, mas também é bem complicado perceber o quanto tudo mudou. Não se parece mais com a São João del-Rei em que eu cresci, muito menos a que eu esperava que fosse se tornar.

Comments


bottom of page