top of page

Os setenta anos da televisão no Brasil

A importância cultural e social da televisão, que completa sete décadas no país

Imagem: Scheier.hr on Unsplash

Cazuza dizia que a televisão sem som já é um bonito quadro. É claro que as imagens - mesmo sem cores - causaram um grande impacto com a chegada da tevê. No Brasil, era 1950. Setenta anos atrás e dois meses após o traumático Maracanaço. A pioneira pertencia ao empresário Assis Chateaubriand e se chamava TV Tupi. Sete décadas da primeira transmissão, a tevê desempenhou - e ainda desempenha - um papel fundamental na construção da cultura e da identidade nacional.


Em 1980 - com 30 anos de idade - a primeira emissora a ir ao ar no Brasil encerrou as suas atividades. Era a época em que a Rede Globo dominava a audiência e o imaginário dos brasileiros. Seguindo um padrão de qualidade - que ia das novelas ao telejornal - a emissora carioca estabeleceu um novo jeito de se fazer tevê. Um modo que dialogava de forma impecável com as mais variadas classes sociais e estilos de vida.


A televisão, naquela época e ainda depois, influenciava a forma de pensar e de viver do brasileiro. Século XXI, a internet chegou e os tempos mudaram. Mas a tevê não perdeu seu espaço. Se as telenovelas não batem mais 60 pontos de audiência, como antigamente, agora elas ganharam um novo espaço para serem comentadas. As redes sociais se movimentam a cada um dos capítulos.


Não da para negar a importância da televisão brasileira. Mas, mais do que isso, não da para negar a sua influência na vida da nossa gente. Da política até os costumes lisonjeiros, a tevê cria e acaba com tendências. É o debate televisionado do segundo turno de uma eleição presidencial, que vira fundamental para decidir o voto dos indecisos; é o estilo de roupa da apresentadora de um programa matinal que é inserido nos estandes e nos catálogos de moda; e é a música que marca a trilha sonora do casal de uma novela que vira a mais ouvida nas rádios e nas plataformas do país.


É impossível separar o comportamento e a vida dos brasileiros da televisão. Quando parece estar virando obsoleta, surge algo que prova o contrário. Nesta pandemia que vivemos agora, em 2020 - por exemplo - a televisão ganhou um papel mais do que fundamental na divulgação de informações e na entrega de entretenimento.


Tudo isso porque a televisão é democrática. Não no sentido restrito da palavra. Os grandes conglomerados de mídia ainda dominam e ditam as regras do setor. Mas é democrática porque que leva, gratuitamente, sua programação para uma grande parcela da população brasileira. Porque entra na casa das pessoas de igual para igual, com um diálogo muito mais palatável do que aqueles que encontramos nos outros meios de comunicação. E é por isso que ela prospera até hoje no país e no mundo. E é por isso que vai continuar prosperando.


...

Referências e dicas de leitura:

Estadão: Há 60 anos era inaugurada a TV Tupi. Acesso: 11 de agosto de 2020.

Comentários


bottom of page