top of page

Loucura de Amor

Um romance que sai do óbvio



(Divulgação/Netflix)

Um filme de romance para se sobressair e ter destaque em meio a tantos, necessita de algo a mais, uma vez que estamos sempre nos deparando com novos lançamentos de romances clichês nas plataformas de streaming. Mas com “Loucura de Amor'', lançado em fevereiro de 2021, a Netflix conseguiu o destaque para essa produção que conquistou o público rapidamente, e ficou no "top 10" por semanas.


Loucura de Amor começa de forma frenética e bem esperada, como já estamos acostumados em comédias românticas. Adri (Álvaro Cervantes), um jornalista, “pegador” está em um bar com seus amigos até que decide apostar que conseguiria fazer com que qualquer garota no local saísse com ele. Decidido a ir em direção a uma garota, ele se depara com Carla (Susana Abaitua), que logo o impressiona pela sua forma misteriosa e animada. Carla então propõe uma noite inesquecível, extasiado, ele aceita o convite e os dois partem para uma aventura noturna, com direito a entrar de penetra em um casamento e dormir em uma suíte nupcial. Com o fim da noite chegando, eles precisam sair correndo do hotel antes de serem pegos, e Carla desaparece rapidamente.


Adri fica obcecado em achar a tal garota misteriosa, e apenas com um papel presente na jaqueta deixada sem querer por ela, ele descobre onde Carla está, em um hospital psiquiátrico, e é nesse ponto que o filme vai tomando outro rumo. Ele resolve internar-se para conversar e entender mais sobre Carla, porém ele se decepciona quando se depara com a reação negativa que ela tem ao vê-lo. Adri então decide cancelar sua internação, entretanto percebe que isso não será possível, uma vez que internado somente receberá alta se ocorrer uma evolução/melhora ou se receber em uma votação realizada pela diretoria, votos e comentários positivos de outros pacientes. Pensando em si mesmo, e em sair daquele lugar, Adri começa a se relacionar com os pacientes na tentativa de ganhar elogios e ser aprovado para sair do hospital.



(Divulgação/Netflix)

O filme então começa a nos surpreender, pois vai deixando de lado a trama do romance principal e começa a trabalhar com os personagens secundários e suas histórias, que nos envolvem e emocionam. Os transtornos de cada um começam a ser explicados, demonstrando a realidade dos doentes e as dificuldades que todos eles vivenciam. O roteiro de Eric Navarro e Natalia Durán é incrível, pois eles não romantizam ou banalizam os transtornos psíquicos dos personagens, pelo contrário, são tratados com sensibilidade, atenção e responsabilidade.


A visão de Adri era distorcida, ele enxergava aquelas pessoas com desprezo e um certo preconceito, assim como parte da sociedade, se comportava como um livro de autoajuda, dizendo frases como: “você pode melhorar, é só querer, basta acreditar”. Porém, convivendo com os pacientes isso começa a mudar. Adri vai se tornando mais empático, se sensibilizando e demonstrando para o público que a maneira como tratava antes aquelas pessoas era errada e promíscua. O longa consegue com maestria retirar de nós, lágrimas e sorrisos, e conforme o filme vai acontecendo, vamos nos prendendo e sensibilizando cada vez mais com as histórias.


A relação de Carla e Adri, mesmo que fique em segundo plano algumas vezes, vai se fortalecendo quando ela percebe a transformação que Adri tem. Entretanto, o medo de Carla em se entregar a um relacionamento por ser complexa e ter o transtorno de bipolaridade, ainda é forte. O diretor Dani de la Orden, vai trabalhando a mentalidade da personagem, que no fim entende que não precisa de moldar-se para encaixar em uma relação, e sim que todos temos nossas particularidades, faz parte de amar entender, respeitar e ajudar aquele que ama.


O filme é leve e gostoso de assistir, porém não é nada superficial. Trata de assuntos sérios, levanta pautas e nos faz questionar. Mas não deixa de ser um clichê, com cenas românticas e o tão esperado discurso de amor em público. Vale a pena desfrutar dessa produção e retirar da mesma, questões para se repensar e entender. Se você gosta de romance, vai amar. Contudo, se não gosta, também tem grandes chances de se apaixonar, levando em consideração que o longa migra na comédia, no romance e no drama.


Assita o Trailer Oficial do filme:


Kommentare


bottom of page